Até 2003, a Volvo era um fabricante de caminhões que se restringia aos modelos pesados, com capacidade de carga acima das 40 toneladas. Em agosto daquele ano, o lançamento da linha VM colocou a marca sueca no segmento dos semipesados. Hoje esse segmento é o que mais vende caminhões no Brasil, com 35% do total de emplacamentos – os pesados são 32%, os leves 24% e os médios 9%. “A criação da linha VM pemitiu rentabilizar melhor as concessionárias da marca, o que viabilizou a expansão da rede no mercado brasileiro”, explica Bernando Fedalto, diretor de caminhões no Brasil do Grupo Volvo na América Latina. Para comemorar os dez anos da sua linha de semipesados, a Volvo acaba de lançar a série especial VM 10 Anos. Além de uma faixa colorida e um adesivo alusivos à data, o VM 10 Anos vem com bancos de couro, espelhos retrovisores externos e convexos com acionamento elétrico, parassol externo e faróis de neblina.

Volvo VM - Série especial 10 anos

O VM apresentado em 2003 foi desenvolvido sobre um caminhão  da francesa Renault Trucks, marca que é controlada pela Volvo. No modelo francês foram feitos diversos reforços estruturais, para que se adequasse aos padrões de segurança dos pesados da marca sueca. Quando foi lançado, era o primeiro caminhão brasileiro no segmento de semipesados a oferecer a opção de cabine leito, antes restritas aos pesados. Também inaugurou entre os semipesados nacionais itens de série como coluna de direção ajustável, sistema de basculamento hidráulico da cabine, freios a disco dianteiros e suspensões com molas parabólicas, além de opcionais como climatizador e caixa de câmbio de 9 marchas. Os motores eram padrão Euro 2, com 210 cv e 240 cv.

Em 2005 foi apresentado o primeiro facelift do VM, junto com a introdução dos motores eletrônicos, já com padrão Euro 3. Foi lançado também o cavalo-mecânico VM, com configuração 4X2 e motor de 310 cv, além dos VM rígidos rodoviários de 210 cv e 260 cv, além dos rígidos 6X4 de 260 cv e 310 cv. E no final de 2011 foi apresentada a atual versão Euro 5, com motores adaptados aos atuais padrões de emissões, acompanhada de um segundo facelift. O cavalo-mecânico agora vem com motor de 330 cv, enquanto os modelos rígidos tem versões de 220 cv, 270 cv e 330 cv. Para atender às exigências da legislação Euro 5/Proconve 7, foi adotada a tecnologia SCR, com adição de ARLA 32 no catalizador para redução das emissões.

Volvo VM 10 anos

Além das atualizações, a linha VM já exibiu algumas séries especiais, como a Athor – que celebrou a participação do caminhão no filme “Beira do Caminho”, do diretor Breno Silveira –, e “ecológica” Eco Experience e a VM 10.000 – que comemorou o décimo-milésimo caminhão da marca produzido no Brasil. Desde o seu lançamento, há dez anos, já foram vendidos mais de 35.700 caminhões VM. Esse ano, 40% dos caminhões comercializados pela Volvo são da linha VM, que agora inclui também modelos pesados na linha Tractor 6X4. Na linha semipesada, a Volvo atingiu esse ano pela primeira vez os dois dígitos de “market share” – está com 10,1% das vendas totais do segmento. São esperadas algumas novidades na linha VM ainda esse ano, como o lançamento das versões 8X2 e 8X4. Para 2014, está prevista uma versão com caixa de marchas automatizada.

Em meio às comemorações dos dez anos da linha VM, a Volvo confirma que ainda esse ano irá definir qual das outras marcas do grupo será utilizada no Brasil para atingir os segmentos de caminhões médios e leves. Dentro desse objetivo, ficam descartadas a norte-americana Mack, que é especializada no segmento de pesados, e a indiana Eicher, que abastece apenas seu mercado local. As marcas do Grupo Volvo que produzem caminhões médios e leves são a francesa Renault Trucks e a japonesa UD – antiga Nissan Diesel. Ainda não está descartada a possibilidade dos modelos nos segmentos de leves e médios utilizarem a própria marca Volvo – como ocorreu com o próprio VM, que originalmente era um semipesado da Renault Trucks.

Galeria de Fotos

Volvo VM 10 anos

Volvo VM 10 anos - interior

Linha Volvo VM 10 anos

Linha Volvo VM 10 anos


Autor: Luiz Humberto Monteiro Pereira (Auto Press)
Fotos: Divulgação